MITOS E REALIDADES SOBRE O CÂNCER DO INTESTINO

Fonte: Sociedade Americana de Cirurgiões de Cólon e Reto



Há muitos mitos e lendas que cercam o câncer do intestino que pode ser totalmente evitável. Se você está preocupado com o câncer de intestino ou se você tem um forte histórico familiar de câncer colorretal, pergunte ao seu médico se você precisa consultar um especialista. Nos Estados Unidos, março é o mês da conscientização sobre o câncer do intestino e uma grande oportunidade para se informar sobre o assunto.

Mito ou realidade: “Não há nada que eu possa fazer para evitar o câncer do intestino.”

Mito.

Poucas pessoas sabem que o câncer do intestino pode ser prevenido. Uma dieta baixa em gordura animal e rica em vegetais e frutas contribui. Associadamente, a atividade física pode reduzir o risco de desenvolver a doença. Como a maioria dos casos de câncer de intestino se desenvolve a partir de pólipos – lesões de  crescimento no revestimento interno do cólon e do reto – , métodos de rastreamento podem detectar e remover pólipos antes que se tornem malignos.

Mito ou realidade: “O câncer de intestino é fatal’.

Mito.

Ele é curável quando detectado precocemente. 91% dos pacientes com câncer colorretal localizado (confinada ao cólon ou reto) e tratados adequadamente permanecem vivos cinco anos após o diagnóstico. Mas apenas 37% de todos os cânceres colorretais são diagnosticados nesta fase. Os 63% restantes chegam ao médico quando a doença se espalhou para além da parede do cólon ou do reto ou para partes distantes do corpo.

Mito ou realidade: “O rastreamento é necessário somente para os indivíduos que têm sintomas.”

Mito.

Quase sempre, o câncer precoce do intestino não tem nenhum sintoma. É importante se submeter a exames regulares para detectar esse tipos de câncer. O rastreamento significa testar pacientes SEM SINTOMAS.  Homens e mulheres a partir dos 50 anos devem se submeter regularmente a exames com o objetivo de prevenir o câncer do intestino. Homens e mulheres exibem maior risco se:

  1. Têm antecedentes familiares de câncer do intestino,

  2. Se já tiveram câncer do intestino,

  3. Se têm história de pólipos do intestino na família,

  4. Quando têm diagnóstico de doença inflamatória intestinal de longa duração.

Esses pacientes, juntamente com as mulheres que têm história pessoal ou familiar de câncer de endométrio ou mama precisam iniciar a prevenção antes dos 50 anos. Converse com um clínico ou com um cirurgião sobre quando você deve começar a sua prevenção

Mito ou realidade: “Somente pessoas com história familiar de câncer de intestino estão sob risco.”

Mito.

Cerca de 75% de todos os novos casos de câncer do intestino ocorrem em indivíduos sem fatores de risco conhecidos para a doença outro que não seja a idade igual ou maior a 50 anos. A história familiar pode alterar a idade a partir da qual você precisa se prevenir ou o intervalo de tempo entre os exames de prevenção.

Mito ou realidade: “O rastreamento do câncer do intestino não é coberto pelos planos de saúde.”

Mito.

Todos os exames empregados para a prevenção do câncer de intestino são coberto pelas operadoras de planos e seguros de saúde brasileiras.

Mito ou realidade:”A colonoscopia é um exame difícil.”

Mito.

O exame de colonoscopia requer a realização de um preparo intestinal para limpar o intestino grosso das fezes e também uma sedação para que o paciente possa realiza-lo sem desconforto.

O exame de colonoscopia não é de realização difícil. Os pacientes são sedados durante o procedimento para minimizar qualquer desconforto, o que é na maior parte proveniente do gás utilizado para distender o interior do cólon a fim de poder visualiza-lo adequadamente.

A despeito de ser o preparo intestinal muito temido pelos pacientes, sua realização adequada é muito importante pois permite que o médico que realiza o exame visualize o revestimento do intestino claramente. Um preparo inadequado por dificultar a identificação de pólipos e outras alterações menores.

Mito ou realidade: “Ter um pólipo significa que eu tenho ou vou ter câncer e que a cirurgia é sempre necessária.”

Mito.

Um pólipo é uma lesão pré-cancerosa que pode evoluir para o câncer de intestino.

Se os pólipos são detectados e removidos antes dessa progressão, o câncer do intestino é evitado. Aliás, esse é o maior objetivo da colonoscopia, identificar e remover as lesões precursoras do câncer do intestino.

Está demonstrado que a realização de retossigmoidoscopia e a colonoscopia evitam mortes por câncer do intestino.

A maioria dos pólipos benignos é adequadamente tratada por remoção durante a colonoscopia.

Mesmo pólipos maiores podem ser removidos por via endoscópica.

É verdade, no entanto, que se o câncer insuspeitado é encontrado dentro do pólipo, você pode precisar de cirurgia para remover a o segmento de intestino que abrigava a lesão. Mesmo se você precisar de cirurgia, a maoria das operações pode ser realizada pela videolaparoscopia. A videolaparoscopia minimiza o tempo de recuperação, a dor e tem outros benefícios.

ENDEREÇOS:

Hospital Israelita Albert Einstein Unidade Morumbi
Avenida Albert Einstein, 627
Bloco A1 – Pavilhão Vicky e Joseph Safra
2ºAndar, Sala 219 – São Paulo – SP

TELEFONES:
+55 (11) 2151-5219
+55 (11) 2151-0219

 

Hospital Israelita Albert Einstein Unidade Perdizes/Higienópolis
Rua Apiacás, 85
4.o andar – Setor de Oncologia

 

TELEFONES:


+55 (11) 2151-1233 opção 5

FALE CONOSCO

EQUIPE MÉDICA

Dr. Sergio Araujo
CRM: SP 75.637

Colorretal © 2019 desenvolvido por Sanders Digital

logotipo-colorretal.png
  • Black Facebook Icon
  • Black YouTube Icon