ENDEREÇO

Consultório Albert Einstein
Avenida Albert Einstein,
627 Bloco A1 –
Pavilhão Vicky e Joseph Safra,
2ºAndar, Sala 219 – São Paulo – SP

TELEFONE

EQUIPE MÉDICA

Dr. Sergio Araujo
CRM: SP 75.637

FALE CONOSCO

Colorretal © 2019 desenvolvido por Sanders Digital

Câncer do intestino – Os Principais fatos
 

O câncer do intestino ou colorretal, é o tumor maligno que se desenvolve no intestino grosso, no cólon ou no reto

Outros tipos de câncer pode afetar o cólon. O adenocarcinoma do cólon responde por 95% dos casos. Nos outros 5%, ocorrem os linfomas, os sarcomas e os melanomas.

Causas
O câncer colorretal é a principal causa de morte por câncer do aparelho digestivo . O diagnóstico precoce leva a cura em mais de 90% dos casos.

Não há uma causa única de câncer de cólon . Quase todos os cânceres do intestino começam como pólipos não-cancerosos (benignos) , que se desenvolvem lentamente em câncer.


Você tem um alto risco de câncer de cólon, se você :

tem mais de 60 anos
ingere muita carne vermelha ou processada
tem história pessoal ou familiar de câncer do intestino oi de pólipos
tem doença inflamatória intestinal de longa evolução
tem história pessoal ou familiar de câncer do mama
tem diagnóstico de polipose adenomatosa familiar
tem diagnóstico de síndrome de Lynch.
Dieta: pobre em fibras, rica em gordura animal
Fumar cigarros e beber álcool são outros fatores de risco para o câncer colorretal .

 

Sintomas & diagnóstico

Muitos casos de câncer de cólon não têm sintomas. A chance de cura é maior quando o câncer é diagnosticada por um exame de prevenção (na ausência de sintomas).
Os seguintes sintomas podem indicar câncer de cólon :

dor abdominal e sensibilidade na parte inferior do abdômen, sangue nas fezes, diarréia , constipação, ou outra mudança nos hábitos intestinais, alteração persistente no calibre ou consistência das fezes, emagrecimento.


O exame físico realizado pelo médico deve ser completo.

O câncer de cólon pode se mostrar sem nenhum achado ao exame físico do abdome.

Já o câncer do reto pode ser diagnosticado através do toque digital do reto, que faz parte integrante do exame físico.

O exame ideal para o diagnóstico do câncer do intestino é a colonoscopia. A colonoscopia é a endoscopia flexível do intestino grosso. Somente a colonoscopia pode visualizar todo o cólon. Ela permite identificar adequadamente a localização do tumor, obter biópsias e procurar por outros tumores, os quais podem estar presentes em até 5% dos casos.

Após o diagnóstico do câncer do cólon ou do reto, o próximo passo é realizar o estadiamento do tumor. Realizar o estadiamento (definir o estágio) significa determinar a extensão do tumor no seu órgão primário (o cólon ou o reto) bem como se há ou não metástases a distância. O local mais frequentemente acometido secundariamente é o fígado.

Para o estadiamento do câncer do cólon, os exames a serem realizados são:

exames de sangue com níveis séricos de CEA (antígeno cárcinoembriogênico)
tomografia computadorizada do abdome e do tórax
PET scan ou PET CT em alguns casos
Câncer do intestino: estágios

Estágio 0:  o tumor limitado à camada mais interna do cólon, a mucosa
Estágio I:  o tumor não ultrapassa a camada muscular própria do intestino
Estágio II: O câncer ultrapassa a camada muscular própria da parede muscular do cólon
Estágio III: O câncer se espalhou para os linfonodos
Estágio IV: O câncer se espalhou para outros órgãos além do cólon
Câncer do cólon: tratamento
O tratamento do câncer do intestino depende principalmente do estadiamento. A cirurgia representa o tratamento central do câncer do intestino com o objetivo de remover o tumor primário e as estações de drenagem linfática. A quimioterapia é empregada em alguns casos no período pós-operatório com o objetivo de atingir potenciais células malignas circulantes na corrente sanguínea. Para alguns casos de câncer do reto, a radioterapia é empregada antes do tratamento cirúrgico com o objetivo de diminuir o risco de recorrência local após a cirurgia.
 

Câncer do cólon: quimioterapia
Quase todos os pacientes com estágio III de câncer de cólon devem receber quimioterapia após a cirurgia por pelo menos 6 meses. Isto é chamado de quimioterapia adjuvante. A droga 5-fluorouracil pode aumentar a chance de cura em determinados pacientes.

apos o exame A quimioterapia também é usada para melhorar os sintomas e prolongar a sobrevida em pacientes com câncer de cólon estágio IV. Irinotecano, oxaliplatina, capecitabina e 5-fluorouracil são as três drogas mais vulgarmente usados ​. Os anticorpos monoclonais, incluindo cetuximab, panitumumab, bevacizumab e outras drogas têm sido utilizados isoladamente ou em combinação com a quimioterapia.

Em muitos casos, o câncer de cólon é tratável quando é detectada precocemente .

Como bem você faz depende de muitas coisas , especialmente o estágio do câncer . Quando tratada precocemente , muitos pacientes sobrevivem  pelo menos 5 anos após o diagnóstico. Isso é chamado de taxa de sobrevida em 5 anos .

Se o câncer de cólon não voltar ( se repetem ) dentro de 5 anos , é considerado curado. Estágio I, II, III e cânceres são considerados possivelmente curável. Na maioria dos casos , o câncer na fase IV não é considerado curável , embora haja excepções.

Prevenção
O objetivo da prevenção ou rastreamento do câncer do intestino é identificar as lesões precursoras (benignas) ou mesmo o câncer num estágio precoce. Durante a colonoscopia, se pólipos benignos foram encontrados eles serão removidos através da polipectomia.


O principal método para o rastreamento do câncer do cólon é a colonoscopia que deve ser oferecida a todos os pacientes, homens e mulheres, a partir dos 50 anos.
Mudar sua dieta e estilo de vida é importante. A pesquisa médica sugere que baixo teor de gordura e dietas ricas em fibras pode reduzir o risco de câncer de cólon .

logotipo-colorretal.png
  • Black Facebook Icon
  • Black YouTube Icon