Vídeos

Colectomia esquerda videolaparoscópica para o tratamento da diverticulite do sigmóide

Em operações para tratar a diverticulite crônica, recorrente ou complicada do cólon sigmóide, o cirurgião retira a porção deformada e inflamada do intestino grosso (uma operação denominada uma colectomia parcial, ressecção sigmóide, ou a ressecção segmentar) e, em seguida, volta a ligar as extremidades do intestino para restaurar a continuidade do trato digestivo.
Cada vez mais, os cirurgiões podem oferecer estes procedimentos por laparoscopia. A equipe faz pequenas incisões em vários locais na parte inferior do abdome e os usa para acessar o cólon com equipamento endoscópico. Estas ferramentas são tubos finos, incluindo um endoscópico com uma lente auto-iluminada que, no final,  permitem ao cirurgião ver e manipular os órgãos e tecidos durante a operação.
Usando a laparoscopia, o cirurgião colorretal pode realizar a cirurgia enquanto assiste a um monitor de vídeo com as imagens endoscópicas e dos instrumentos utilizados para a ressecção e sutura do intestino. O cirurgião qualificado pode tirar vantagem destas técnicas para ressecar e reparar o cólon com segurança – preveja um processo mais fácil para os pacientes se submetem, em comparação à cirurgia convencional, aberto.
A abordagem laparoscópica resulta em menos perda de sangue, menor tempo de internação, cicatrização mais rápida, menos dor, recuperação mais rápida (incluindo da função intestinal) e mais rápido regresso à atividade física e de trabalho.

Bolsa Ileal por videlaparoscopia (retocolite ulcerativa)

No presente vídeo, demonstra-se a realização de operação de retocolectomia total com anastomose ileoanal e reservatório ileal para o tratamento cirúrgico da retocolite ulcerativa.

A anastomose bolsa ileal-anal  é um procedimento cirúrgico que é utilizado para restaurar a continuidade gastrintestinal após a remoção cirúrgica do cólon e do reto. Várias condições, incluindo estados inflamatórios, câncer ou infecção, pode exigir a remoção cirúrgica completa do cólon e do reto, no presente caso, a retocolite ulcerativa crônica de longa evolução.

Também chamado de uma bolsa ileal, o procedimento envolve a criação de um reservatório a partir do íleo terminal para substituir o reto removido. Duas ou mais alças intestinais são suturadas ou grampeadas em conjunto para formar um reservatório para fezes. Este reservatório é então ligado ao ânus para re constituição do fluxo fecal anal. A bolsa é na nossa prática rotineiramente protegida por uma ileostomia temporária para desviar temporariamente o caminho das fezes através da parede abdominal, sob a forma de uma ileostomia a montante. Após um período de recuperação, essa ileostomia é revertida (fechada) durante um processo separado.

Tratamento cirúrgico da retocele associada a prolapso genital por videolaparoscopia

No presente vídeo, demonstra-se o tratamento por videolaparoscopia da retocele associada a prolapso genital.

A técnica utilizad foi a de retopexia com colposascropexia empregando-se a prótese de Physyomesh.

EXCISÃO TOTAL DO MESORRETO (ETM) POR VÍDEO-LAPAROSCOPIA / LAPAROSCOPIC TOTAL MESORECTAL EXCISION

A excisão total do mesorreto (ETM) representa o mais importante princípio técnico a ser respeitado durante as operações de tratamento cirúrgico curativo do câncer do reto.

A via de acesso minimamente invasiva oferece ao paciente as vantagens de uma recuperação pós-operatória significativamente mais rápida, menor dor e menor risco de complicações, sobretudo infecciosas.

Esses resultados são de fundamental importância sobretudo quando o tratamento oncológico sistêmico precisa ser oferecido no pós-operatório.

No presente vídeo, demonstra-se a realização de uma operação de ETM.

Saiba mais em www.colorretal.com.br
Total mesorectal excision (TEM) is the most important technical principle to be respected during the curative surgical treatment of rectal cancer.

The minimally invasive approach provides the advantages of a faster post-operative recovery, less pain and reduced risk of complications.

These results are of central importance especially when systemic cancer treatment is demanded in the postoperative setting.

In this video, we demonstrate how a TEM operation was accomplished in a male patient with distal rectal cancer.

RETOPEXIA VENTRAL LAPAROSCÓPICA / LAPAROSCOPIC VENTRAL RECTOPEXY

No presente vídeo, demonstra-se a técnica de retopexia ventral laparoscópica para o tratamento cirúrgico da providência do reto.

As principais vantagens dessa técnica minimamente invasiva são a dissecção restrita à face anterior do reto e do septo retovaginal na topografia do fundo de saco de Douglas e restrita também ao promontório sacral.

Dentre as vantagens já comprovadamente associadas a técnica, encontram-se a manutenção da função evacuatória e o reduzido impacto sobre a continência anal.

Saiba mais em: www.colorretal.com.br

 

Retopexia Ventral Laparoscópica - Características

In this video, it is depicted the complete technique for laparoscopic ventral rectopexy  for the surgical treatment of rectal full-thickness rectal prolapse.

The main advantages of this minimally invasive technique are:

1. a dissection restricted to the anterior surface of the rectum and rectovaginal septum, and

2. the potential for maintenance  of defecatory function and its reduced impact on anal continence.