Blog

PREVENÇÃO DO CÂNCER DO INTESTINO GROSSO

Publicado por Dr. Sérgio Araujo em 15/03/2015

Essa é uma Campanha da Sociedade Americana de Cirurgiões de Cólon e Reto

A prevenção e a detecção precoce são a chave para o tratamento eficaz.

Março é o mês da conscientização sobre a prevenção do câncer do intestino grosso nos Estados Unidos e é uma grande oportunidade para aprender mais sobre o câncer do intestino grosso, colorretal ou de de cólon e reto.

O câncer do intestino é o terceiro tipo de câncer mais comum no Brasil e o segundo mais frequente na região Sudeste. Estima-se (INCA – 2014) que em 2014 ocorreram cerca de 32.600 novos casos no País.

 

Como posso diminuir meu risco?

Para reduzir o risco de câncer colorretal, a Sociedade Americana de Cirurgiões de Cólon e reto recomenda que você, homem ou mulher:

  • Coma uma dieta com baixo teor de gordura e rica em fibras
  • Se usar álcool, beba com moderação.
  • Se fumar, pare.
  • Exercite-se por pelo menos 20 minutos três a quatro dias por semana.

 

O câncer do intestino pode ser curado?

Na medida em que os sintomas associados ao câncer colorretal nem sempre ocorrem (trata-se de uma doença silenciosa que só dá sintomas em estágios avançados), os exames de detecção precoce são essenciais e são úteis por duas razões. (1) o câncer pode ser evitado quando os pólipos são diagnosticados e removidos, e (2) quando o tumor é diagnosticado por rastreamento, ele está em seu estágio inicial, o que aumenta significativamente a chance de cura.

O câncer colorretal requer, para a cura completa, a cirurgia em quase todos os casos, por vezes em conjunto com radioterapia e quimioterapia. Entre 80-90% dos pacientes são curados se o câncer for diagnosticado e tratado nos primeiros estágios. No entanto, a taxa de cura cai para 50% ou menos, quando diagnosticado em fases mais avançadas.

 

Quem está sob risco?

O risco de desenvolver câncer colorretal aumenta com a idade. Todos os homens e mulheres com idade igual ou maior do que 50 anos estão em risco de desenvolver câncer colorretal e devem ser rastreados.

Alguns indivíduos estão em maior risco e devem ser rastreados em uma idade mais jovem, incluindo aqueles com história pessoal ou familiar de doença inflamatória do intestino, câncer do intestino, pólipos do intestino, e cânceres de ovário, endométrio e mama.

Os exames de detecção precoce incluem a pesquisa de sangue oculto nas fezes (um teste químico simples que pode detectar sangue oculto nas fezes), a retossigmoidoscopia (um exame visual do reto e da porção inferior do cólon, que pode ser realizada em consultório médico), a colonoscopia (um exame endoscópico de todo o cólon) ou mesmo o simples exame de toque retal.

Voltar ao Topo