Tratamento combinado da incontinência fecal: muito mais eficaz do que o isolado

Drs. Sergio Araujo e Victor Seid

A terapia combinada para a incontinência fecal é mais eficaz do que o tratamento padrão atual. Esta é a conclusão de um estudo randomizado comparando os diferentes tratamentos, descritos por Thilo Schwandner e seus colegas na edição atual de Deutsches Ärzteblatt Internacional ( Dtsch Arztebl Int 2011; 108 [39] : 653-60 ).

Na Alemanha , 1-2 % da população sofre de incontinência anal . O problema geralmente é causado por fraqueza dos músculos do assoalho pélvico. Cirurgia, biofeedback e estimulação elétrica são usados ​​para restaurar a coordenação dos músculos responsáveis ​​pela continência.6550461_f260

Por razões anatômicas , os exercícios físicos por si só não é suficiente para treinar todos os músculos relevantes , assim, a estimulação com corrente elétrica desempenha um papel importante também.

A estimulação elétrica de baixa frequência é dolorosa para os pacientes. Também é demonstrado no  estudo que frequentemente não produz nenhum benefício terapêutico . Em contraste, a terapia de combinação concebida pelos autores – chamas por eles de “tratamento triplo- alvo” (3T ) , restaura a continência em 50% dos pacientes que a receberam .

Em um componente de 3T , a musculatura voluntária fásica é treinada com biofeedback empregando eletromiografia para que os pacientes possam aprender a ativar os músculos corretos para alcançar a continência . Em um componente separado , o músculo liso ( o qual não pode ser voluntariamente contraído ) é tratada com estimulação de média frequência , que é menos dolorosa do que a estimulação de baixa frequência.