DOENÇA DE CROHN: QUANDO OPERAR?

 

Quando os medicamentos passam a não mais fazer efeito no alívio dos sintomas da doença de Crohn, a cirurgia deve ser indicada.

 

 

 SOBRETUDO PORQUE:

Não há mais como reverter a fibrose produzida pelos sucessivas crises de inflamação no intestino, e  as complicações levam a necessidade de tratamento cirúrgico de urgência em condições clínicas não tão boas como durante a cirurgia eletiva e, frequentemente, não utilizando via de acesso minimamente invasiva.

 

 

O tipo mais comum de operação empregada é a ressecção.

 

Durante a ressecção , a porção doente do intestino grosso ou o intestino delgado é removido , e o intestino é recolocado em conjunto, utilizando as duas extremidades saudáveis ​​.

A ressecção cirúrgica pode ser utilizada para remover a estenose , que pode incluir um longo estreitamento ou um grupo de estenoses que estão perto um do outro , ou pode ser usado para remover porções gravemente doentes do intestino delgado ou grosso .

Captura de Tela 2014-01-23 às 09.24.04

 

O objetivo de uma ressecção é manter o máximo de intestino saudável possível e só remover partes do intestino que estão além da cura. Em particular , a remoção de grandes segmentos do intestino delgado é SEMPRE EVITADA. O intestino delgado é o local onde a totalidade dos nutrientes, as vitaminas e os minerais são absorvidos pelo corpo. Em casos extremos , a remoção de segmentos extensos do intestino pode conduzir a síndrome do intestino curto .

 

 A vídeo-laparoscopia é a via de acesso preferencial a ser realizada para as operações na doença de Crohn e sempre utilizada em nossa equipe. Nossa experiência com o método é ampla.

 

Durante uma operação , a anestesia geral é empregada.

Na cirurgia laparoscópica, entre 4 e 5 pequenas incisões são realizadas. O abdómen é preenchido com gás carbônico somente durante a cirurgia, de modo que o cirurgião pode ver melhor na cavidade abdominal e uma câmara é inserida através de uma das duas incisões .

O tempo de internação para uma cirurgia laparoscópica tende a ser menor do que na cirurgia aberta e varia entre 4 e 8 dias. Porém o tempo de internação depende:

 

  1. do estado nutricional do paciente antes da cirurgia, e

  2. se há ou não complicação (perfuração, abscesso ou fístula que necessitam de tratamento antes da cirurgia por punções-drenagem ou antibióticos).

 

 

 

O tempo de afastamento em casa no pós-operatório varia muito pois é uma decisão individual e depende da atividade também mas de um modo geral, recomendamos 10 dias.

Todas as cirurgias abdominais, por vídeo ou não necessitam de cerca de 3-4 semanas de afastamento de atividade física moderada ou intensa.